veja comer e beber
4 rodas
Logo Regina Guest House
Logo Regina Guest House
veja comer e beber
4 rodas
1
Praia do Rosa

A Praia do Rosa começou a ser desbravada pelos surfistas em meados da década de 70, os quais, em sua maioria gaúchos, vinham em busca das ondas perfeitas e da até então intacta Praia do Porto Novo. Nesta época não havia eletricidade, estradas de acesso, muito menos pousadas. Estes eram recebidos por uma família de pescadores nativa, destacando-se seu patriarca – Dorvino Manoel da Rosa – daí a origem do nome da Praia do Rosa.

Hoje, grande parte destes primeiros desbravadores da praia são proprietários de pousadas e restaurantes e mantém vivo o legado de Seu Dorvino e sua esposa Dona Orgena: receber os visitantes num acolhimento esmerado e com carinho, sempre preservando a natureza.

Pela beleza cênica, por seu Plano Diretor de Desenvolvimento Sustentável, por fazer parte da Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca e por estar na Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, o Rosa é a única representante brasileira no seleto Clube das Baías Mais Belas do Mundo(Les Plus Belles Baies du Monde), ONG com chancela da Unesco, e sediou o congresso internacional destas 30 baías no ano de 2007.

Durante os meses de julho a outubro o Rosa recebe a visita das Baleias Francas, que buscam a região para acasalar, dar à luz e amamentar seus filhotes, fugindo das gélidas águas do Atlântico Sul. Apesar do tamanho, estes gigantes são incrivelmente dóceis, e dividem espaço em harmonia com os surfistas e observadores. 

O Rosa é uma baía contornada por um morro em forma de ferradura, onde as duas pontas entram no mar formando dois cantos que conhecidos como Canto Norte e Canto Sul.

É a praia mais ao norte do município de Imbituba, estabelecendo o limite deste município com o de Garopaba. É internacionalmente conhecida para prática do surf pelas perfeitas ondas que rompem em todas as condições de vento e swell.

A região onde está localizada é chamada de Ibiraquera, palavra de origem tupi-guarani que remete à árvore Imbira, muito comum no local, hoje praticamente extinta, utilizada para fabricar cordas, dada à resistência de seu tronco. Mesmo nome dá-se à Lagoa que a circunda e que tem ótimas condições para a prática de esportes como windsurf, kitesurf, stand up padle e canoagem.